Dissertação

O hip hop e a intermitência política do documentário

Victor Guimarães

Compartilhe:

Seja na minha trajetória acadêmica, no meu percurso como espectador ou – mais recentemente – como crítico, a relação entre o cinema e a política tem se constituído como uma questão – de pesquisa, de cinefilia e de afeto – inescapável. Em seus variados pontos de contato e tensão, em suas múltiplas nuances, esse intrincado binômio foi se impondo como um objeto de curiosidade, de desejo, e terminou por configurar o norte da investigação que empreendi na dissertação que dá origem a este livro .

Embora a consciência da amplitude desse campo problemático tenha algo de perturbador (mais do que tema a ser discutido no mestrado,  talvez seja um assunto para toda uma vida), a decisão de enfrentá- lo nesta pesquisa acabou por se revelar, no fundo, como a única escolha possível. Realizar um recorte, estabelecer uma direção particular de investimento tornou-se um gesto ao mesmo tempo doloroso e absolutamente necessário.  Embora seja uma discussão difícil de rastrear – uma vez que a variação conceitual é enorme –, a relação entre o cinema e a política foi inúmeras vezes colocada em questão, tanto pela teoria quanto pela crítica cinematográfica. Historicamente, as definições acerca  da vinculação entre os dois termos a acentuaram ora a afinidade,   ora o conflito entre eles. As defesas variaram da urgência premente de uma politização da forma cinematográfica à necessidade de uma separação radical entre os domínios estético e político. Em cada um desses momentos, tanto a questão fundamental de Bazin (o que é o cinema?) quanto aquela de Aristóteles e tantos outros (o que é a política?) permaneceram como um problema, e receberam respostas das mais variadas: seja de forma explícita – e em diálogo com outros campos de pensamento –, seja de maneira inadvertida, mas ainda assim subjacente às análises.

Diante do interesse crescente em torno dessas relações atualmente – e dos impasses que também permeiam um terreno movediço –, nossa pesquisa busca estudar algumas figurações da cultura hip hop no cinema brasileiro recente, tendo em vista a formulação de uma visada teórico-metodológica sobre o estatuto político do cinema documentário e buscando investigar as possibilidades e dilemas da constituição de gestos políticos em diferentes filmes. Tomando como objetos de análise Aqui favela, o rap representa (Júnia Torres e Rodrigo Siqueira, 2003) e L.A.P.A  (Cavi Borges e Emílio Domingos, 2007), buscamos investigar  as modalidades políticas que os habitam, levando em conta as diferentes conexões entre as formas singulares dos filmes e as representações hegemônicas que constituem o contexto contemporâneo do hip hop no Brasil. (Victor Guimarães)

Victor Ribeiro Guimarães

Graduado, Mestre e Doutorando em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais. Crítico da revista Cinética, ex-professor da graduação em Cinema e Audiovisual do Centro Universitário UNA e integrante do grupo de pesquisa Poéticas da Experiência (UFMG).

Título: O hip hop e a intermitência política do documentário

Autor: Victor Ribeiro Guimarães

Editora: Fafich/Selo PPGCOM/UFMG

Cidade: Belo Horizonte

Ano de publicação: 2015

Edição: 1ª

Número de páginas: 222

Formato: PDF

ISBN: 978-85-62707-70-4

  1. Cena sobre cena
    1. Em busca da cena
    2. Das origens
    3. A outra cidade e o “holocausto urbano”
    4. Periferia é periferia
    5. A fúria negra ressuscita
    6. A contraparte das narrativas hegemônicas
    7. A cena contemporânea
  2. O devir político do documentário
    1. Políticas da forma cinematográfica
    2. Trânsitos contemporâneos: estética e política
    3. Identidades e processos de subjetivação
    4. A intermitência política do documentário
    5. Desafios contemporâneos
  3. Aqui favela, o rap representa
    1. Aqui favela: cartografias da palavra e do lugar
    2. O rap representa: montagem e enunciação coletiva
    3. Políticas da performance
  4. L.A.P.A entre o consenso e o dissenso
    1. O hip hop carioca segundo L.A.P.A.
    2. Entre a encarnação e o mimetismo
    3. A voz do outro (?)
    4. A desidentificação como potência
    5. Políticas da singularidade qualquer

 

Considerações finais: O que pode um filme?

Cadastre seu e-mail!

Cadastre seu e-mail e fique sabendo das novidades do Selo PPGCOM/UFMG

Stream TV ProNews - Stream TV ProWorld - Stream TV ProSports - Stream TV ProEntertainment - Stream TV ProGames - Stream TV ProReal Free Instagram FollowersPayPal Gift Card GeneratorFree Paypal Gift Cards GeneratorFree Discord Nitro CodesFree Fire DiamondFree Fire Diamonds GeneratorClash of Clans GeneratorRoblox free RobuxFree RobuxPUBG Mobile Generator Free Robux8 Ball PoolThe 24 News94th Academy AwardsOscar awards 2022Oscar awardsBrawl Stars GeneratorApple Gift CardFree V Bucks Free V Bucks GeneratorV Bucks GeneratorFree V Bucks Generator 2022Free V Bucks 2022